Sex, 20 de Outubro de 2017
Tamanho da Letra: mais menos
02/01/2017 - 13h27   |   Atualizado em 02/01/2017 - 13h36
(*) Edgard Andreazi

Artigo Edgard Andreazi: Meia hora a mais

Tudo fica melhor quando dedicamos um tempo extra na preparação. O capricho leva um pouco mais de tempo, no entanto valoriza a apresentação final do trabalho. Pode ser a limpeza do carro no final de semana, o almoço ou jantar que está sendo preparado para os amigos, mas, cuidado, meia hora a mais de forno pode colocar tudo a perder. Um tempo adicional dedicado a nossas atividades, exerce uma influência muito grande no resultado de tudo que fazemos e esse tempo extra colocado a disposição, de forma geral é recompensado no resultado. Tome como exemplo um estudante em vias de prestar vestibular. Um esforço extra na preparação das provas pode resultar na aprovação do concurso. A recompensa vem na não necessidade de enfrentar um novo e longo ano de estudos para uma futura tentativa. O adicional no empenho vai promover uma formatura um ano mais cedo. Em relação a concursos, quase todos poderão ser levados a comparação, uma maior dedicação no momento da preparação, garante a realização e o consequente sucesso na conclusão do desafio. A simples leitura de um livro, que de forma comum absorve um tempo, pode ser concluída antes, se a cada período de leitura adicionarmos umas páginas a mais do que aquelas que estavam planejadas para ser lidas.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Toda essa conversa de um pouco mais de esforço não se refere apenas a terminar as coisas antes, ou mesmo terminá-las de forma mais elaborada, certo que isso seja muito importante, visto a concorrência e os grandes desafios de comparação a que estamos sujeitos o tempo todo. A razão principal de abordar essa questão se dá por conta dos grandes momentos de lamentação com que nos deparamos no último ano: - 2016 foi muito difícil. - Estamos passando por uma crise com nunca se viu. - Não vemos a hora que 2016 termine. Toda essa "choradeira" não contribui em nada na solução de nossos problemas. Eles existem e devem ser solucionados, mas não devemos esperar qualquer ação milagrosa de nossos dirigentes, lembrando principalmente que a culpa da situação é deles.

Mesmo sendo deles a responsabilidade em relação a situação que nos encontramos, sabemos que na solução, seja ela qual for, estaremos todos envolvidos, participando obviamente com a parte mais contributiva. O problema é nosso e ponto final. Assim sendo, não cabendo a nós, simples mortais a resolução da problemática toda, nos resta a nossa contribuição parcial, que certamente é muito importante.

Dentro destas conversas que registraram a maioria dos problemas que nos afligemnunca se evidenciaram as razões e nem sempre identificamos quais poderiam ser as alternativas para contribuir na solução deste problema, "a crise".

Bom, se em nossa tese, absorvemos o problema como nosso, passível de uma resolução de forma mais familiar, temos que nos reportar a cultura popular, assemelhado ao remédio caseiro, aviado pelos verdadeiros especialistas.

Assim, em uma destas conversas, um amigo me revelou um ensinamento muito sábio, legado de sua mãe, uma destas peritas em problemas, ou melhor, especialista em soluções. Disse-me ele que, em momentos de diagnóstico de lamúria, ela apresentava uma receita muito simples, porém demais eficiente. Tá difícil? - Trabalhe meia hora a mais.

As informações acima são de total responsabilidade do autor.

Edgard Andreazi Moreira, 52 anos, Empresário de Contabilidade, Graduado pelo Centro Universitário Claretiano, Pós-graduado em Administração Pública Municipal pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Unirio. e-mail - [email protected] - Facebook - Edgard Andreazi Moreira

comments powered by Disqus