Menu
terça, 26 de março de 2019
Qualidade de Vida

Artrose de quadril

03 Jan 2019 - 02h41Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Artrose de quadril -

O começo da artrose das juntas (articulações) acontece ao redor dos 60 anos, com dor na virilha, dor que desce pela coxa, dor para levantar do sofá, fraqueza no quadril quando em pé e ao caminhar e atrofia dos músculos ao redor da cintura pélvica. A artrose no quadril, também chamada de osteoartrose ou coxartrose, é um desgaste da articulação que provoca sintomas como dor localizada no quadril, que surge principalmente durante o dia e ao andar ou permanecer sentado por muito tempo.

A artrose de quadril começa devagar, mas vai piorando com o tempo, a dor e a dificuldade de andar vai se tornando constante, vai perdendo o movimento até causar depressão. O quadril constitui uma articulação responsável por ligar a coxa ao pélvis, o processo de ligação deve ser perfeito, caso ocorra algum problema ou deformidade na área, há grandes chances que o indivíduo tenha muita dor e dificuldades para se locomover, problemas no quadril podem ocorrer por diversos motivos, é muito comum em indivíduos que praticam esportes tenham traumas nessa região, o motivo é o excessivo esforço e quedas.

A artrose, também chamada de osteoartrite, é uma doença que ataca as articulações promovendo, principalmente, o desgaste da cartilagem que recobre as extremidades dos ossos, mas que também danifica ligamentos, a membrana sinovial e o líquido sinovial presente nas articulações. A cartilagem articular tem por função promover o deslizamento, sem atrito, entre duas extremidade ósseas durante o movimento de uma articulação seu comprometimento pode gerar dor , inchaço e limitação funcional que é o movimento normal da articulação.

A artrose pode danificar qualquer junta (articulação) do corpo, a artrose afeta mais comumente as articulações das mãos, da coluna, joelhos e quadris sendo este que causa mais limitações ao acometido.

A artrose piora progressivamente com o tempo, e não existe cura. Mas os tratamentos podem retardar a progressão da doença, aliviar a dor e melhorar a função articular.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a artrose atinge 15 milhões de pessoas no Brasil. Além disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a artrose é a quarta doença que mais reduz a qualidade de vida para cada ano vivido.

Esta doença causa degeneração das cartilagens, sendo que é muito comum surgir no quadril, pois é uma região que sustenta boa parte do peso do corpo e que está sempre em movimento e, geralmente, acontece em pessoas acima dos 40 á 45 anos, mas também pode acontecer em pessoas mais jovens como já presenciei um caso num jovem de 27 anos, principalmente no caso de atletas que utilizam muito a articulação no caso do jogador de tênis entre outros esportes.

O tratamento deve ser orientado pelo ortopedista, e consiste no alívio dos sintomas com uso de medicamentos e o principal Fisioterapia. A cirurgia pode ser feita em último caso, quando não há melhora com o tratamento clínico, feita através da raspagem da parte inflamada ou da substituição da cartilagem pela prótese de quadril e tambem a parte mais importante do tratamento que é com muita Fisioterapia.

Os sintomas da artrose do quadril são: Dor no quadril, que piora ao andar, ficar sentado por muito tempo ou ao deitar de lado sobre a articulação afetada; Andar mancando, precisando de bengala para apoiar melhor o peso do corpo; Sensação de dormência ou formigamento nas pernas principalmente na parte posterior da coxa; A dor pode ir do quadril na região do glúteo até o joelho na parte interna da perna; Dor em queimação na batata da perna; Dificuldade para movimentar a perna pela manhã; Sensação de areia ao mexer a articulação; Dificuldade nas atividades diárias de cortar as unhas dos pés, calçar meias, amarrar o sapato ou levantar da cadeira, cama ou sofá que sejam mais baixos; geralmente esses sintomas pioram no final do dia.

Fatores que aumentam o risco de desenvolver artrose são: Idade avançada o risco de artrose aumenta com a idade; Sexo, mulheres são mais propensas a desenvolver artrose; Deformidades ósseas, pessoas nascem com articulações malformadas ou cartilagem defeituosa, o que pode aumentar o risco de osteoartrite; Lesões nas articulações, ferimentos que acontecem na prática de esportes ou em acidentes, podem aumentar o risco de artrose; Obesidade, carregar mais peso corporal coloca pressão adicional sobre as articulações que suportam o peso; Algumas profissões, se o seu trabalho inclui tarefas que envolvem esforço repetitivo em uma articulação pode, eventualmente desenvolver artrose. Outras doenças como diabetes, hipotireoidismo, gota ou doença de Paget do osso podem aumentar o seu risco de desenvolver artrose.

O diagnóstico de artrose é feito durante o exame físico, o médico ao examinar de perto a sua articulação afetada, verificando sensibilidade, inchaço ou vermelhidão, amplitude de movimento da articulação e dor ao forçar a articulação. Também podem ser recomendados exames de imagem e de laboratório para a confirmação da patologia.

Os tratamentos variam, mais o importante tratamento é diminuir a dor, manter ou diminuir a perda da amplitude de movimento e com isso manter a funcionalidade do paciente, Mudanças de hábitos podem ser úteis para alívio da dor e da piora do quadro são, diminuir a frequência ou intensidade da atividade física, reduzir o peso e diminuir o impacto nesta articulação ajuda e muito.

Remédios, medicamentos analgésicos, prescritos pelo médico podem ser usados para aliviar os sintomas. Os anti-inflamatórios, ou corticóides são indicados somente em períodos de piora dos sintomas, e não devem ser tomados de rotina, devido ao risco de causar lesão renal e úlcera no estômago, é possível utilizar suplementos como colágeno hidrolisado, glicosamina ou condroitina, que atuam para ajudar a renovar a cartilagem e melhorar a artrose em algumas pessoas.

O tratamento fisioterapêutico pode ser feito com o uso de aparelhos que aliviam a dor, tração manual e exercícios, para melhorar a amplitude de movimento, lubrificação e função da articulação, devendo ser feita diariamente ou, pelo menos, 3 vezes por semana. Os exercícios, como hidroginástica, Pilates, exercícios que não piorem a dor são importantes para fortalecer a musculatura e proteger as articulações do corpo fortalecendo os músculos da coxa, fazer alongamentos e exercícios funcionais são os indicados.

A cirurgia para artrose deve ser feita quando os outros tratamentos não são suficientes para controlar a dor e a diminuição da amplitude de movimento. Consiste em retirar a cartilagem danificada parcialmente ou completamente, em alguns casos, é necessária sua substituição por uma prótese de quadril.

A Qualidade de Vida é o bem mais precioso que podemos adquirir ao longo da vida.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia. Atua em São Carlos.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias