Menu
quarta, 12 de dezembro de 2018
Cidade

Lançada campanha São Carlos Contra o Fogo

17 Abr 2009 - 17h27Por Redação São Carlos Agora
A Prefeitura de São Carlos, por meio da Coordenadoria do Meio Ambiente, lançou, na Escola Estadual Archimedes de Carvalho, no Maria Stella Fagá, mais uma campanha São Carlos Contra o Fogo. O evento também contou com a participação de integrantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Defesa Civil e Diretoria Regional de Ensino. A campanha  é uma ação conjunta desenvolvida anualmente desde 2001, com o objetivo de diminuir significativamente as ocorrências de queimadas, através de ação sensibilizadora e preventiva.

O lançamento teve a participação dos professores e dos alunos da escola, que são importantes difusores das informações transmitidas quanto a importância de se evitar queimadas nessa época de tempo seco, que consequentemente, prejudica a qualidade do ar, bem como agride o meio ambiente. A ONG Ramudá apresentou uma peça teatral de conscientização aos alunos.

O mau hábito de atear fogo em lixo, terrenos baldios, áreas de córregos e beira de rodovias, propicia uma grande ocorrência de queimadas. Em abril inicia-se o período de poucas chuvas e o combate ao fogo demanda uma quantidade enorme de água, avançando sobre as reservas do SAAE. A campanha deve se estender até novembro, segundo o coordenador do meio ambiente, Paulo Mancini. "A novidade desse ano na campanha é que teremos um fiscal ambiental que estará à disposição não só para a fiscalização, mas para a orientação da população quanto a importância de ser evitar as queimadas", anunciou Mancini.

Ele explica que as pessoas notificadas, num primeiro momento, são chamadas para promover uma compensação ambiental, em vez de serem multadas. "Esse ano, quem for notificado, será convidado a doar e plantar árvores na área urbana", salientou.

Penalidade – Quem provoca incêndio pode responder por crime ambiental, caso seja surpreendido, como prevê a lei 9.605/98. A pena é de reclusão, de 2 a 4 anos, além de multa. "A multa para quem provoca incêndio num terreno 10x25, por exemplo, fica em torno de R$ 200, mas o que queremos é despertar a consciência das pessoas que atear fogo em terrenos, prejudica o meio ambiente e a saúde das pessoas", observa Mancini.

No período de maio a agosto, com a associação de frio, seca e poluição atmosférica provocada pelas queimadas, aumentam os problemas e as internações hospitalares por problemas respiratórios. Estatísticas apontam que, apesar da boa qualidade do ar de nossa cidade, nesta época a poluição por queimadas pode até levar à morte.  Infelizmente, o hábito de provocar queimadas urbanas ainda está fortemente enraizado na cultura da população. E por isso, as atividades sensibilizadoras e educacionais são fundamentais para reverter esse problema.

O tenente Rangel Gregório, do Corpo de Bombeiros, explicou que em 2008 foram atendidas 541 ocorrências de incêndio em São Carlos. "Um incêndio em terreno pode se propagar para residências e as consequências podem ser irreparáveis, daí a importância da conscientização", frisou.

No dia 28 de abril, às 15 horas, no Centro de Difusão Científica e Cultural (CDCC), haverá um encontro com os  dirigentes, assessores e coordenadores pedagógicos das escolas das duas redes de ensino para uma sensibilização e distribuição de folderes e cartazes. A distribuição do material informativo ocorrerá também em centros comunitários, unidades de saúde, pontos de ônibus e outros locais de grande concentração de pessoas.

Serviço – Em caso de incêndio, a população pode acionar os seguintes órgãos: Corpo de Bombeiros (193), Defesa Civil (199), Coordenadoria do Meio Ambiente (3371 7238/7239) e Polícia Ambiental (3368-3044).
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias