Menu
segunda, 22 de outubro de 2018
Cidade

Exposições e palestra marcam as comemorações do aniversário do Centro de Cultura Afro-Brasileira e o Dia da Consciência Negra

23 Nov 2007 - 00h19Por Redação São Carlos Agora
Na comemoração do primeiro ano de inauguração do Centro Municipal de Cultura Afro-Brasileira “Odette dos Santos” e o Dia da Consciência Negra, realizadas pela Prefeitura de São Carlos por meio do Departamento de Artes e Cultura, nesta terça-feira (20), houve a abertura das exposições “Nossas Raízes”, da Profª Maria Domingas Gonçalves, e “Mulheres do Togo”, de Julia Kater. O evento contou com a presença da secretária Municipal de Cidadania e Assistência Social Maria de Fátima Piccin da Silva e da diretora de Cultura, Telma Olivieri, que representou o prefeito Newton Lima (PT).
A palestra da professora Maria Domingas Gonçalves, que teve como tema “Reforçando nossa origem africana”, abordou seu acervo, suas origens e histórias que contêm esse acervo, bem como ele foi adquirido.
“Eu tenho peças que consegui em minhas viagens pelo Brasil e as peças de origem africanas foram conseguidas com amigos e no tempo que morei em Angola como consultora da Organização das Nações Unidas (ONU), no Projeto Angola/76, na área de educação, fazendo parte da equipe da Unesco”, disse Minga.
Maria de Fátima disse que estar comemorando um ano do Centro Municipal de Cultura Afro-Brasileira “Odette dos Santos” é um ganho para a cidade, pois ele é um local de referência cultural para a população negra de São Carlos. “Esse é o primeiro espaço que o poder público disponibiliza para a população e em especial para os negros, e nesses espaços nós vemos uma grande confraternização das pessoas”, completa.
De acordo com Telma, é muito importante para a Prefeitura comemorar um ano do Centro Municipal de Cultura Afro-Brasileira “Odette dos Santos”. “Esse ano foram tão intensas as atividades que aconteceram no Centro de Cultura, que isso só vem demonstrar a importância e o acerto que foi fundar esse centro. Nós acertamos na localização dele, no centro da cidade, acessível a toda a comunidade, além de oferecer atividades à população como: danças, oficinas, palestras e exposições”, explica.
Na oportunidade a professora Maria Domingas Gonçalves doou para o Centro Cultural um quadro com a foto do seu pai, Gervasio Gonçalves, que foi um dos fundadores do Flor de Maio, com a Odette dos Santos, além de ter entregue uma cópia dessa foto para cada uma das filhas de Dona Nair Baltazar, que também foi uma das fundadoras do Flor de Maio.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias